quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Conselhos

Ultimamente ando confusa, já faz algum tempo que estou assim, é uma fase. Sei que ela vai passar, as coisas vão se esclarecer, vou enxergar tudo nítido. Mas agora é como se tivesse uma nuvem, por trás do céu lindo que adoro contemplar. Como é chato estar confusa. São coisas do coração, são esses episódios que mais nos deixam sem saber como agir. Você não sabe o que pensar. Acorda com uma idéia, que poderia resolver o obscuro, mas à noite quando vai dormir, aquela opinião já sumiu, já se passaram mil pensamentos diferentes na sua cabeça. Você não consegue aproveitar o que de útil se passou. São tantas idéias, tantas coisas que se você fizesse dariam certo, que no fim do dia o que te sobra é um bocado ainda maior de confusão.
Daí que entram os conselhos, que serviriam como maneira de ajuda, de mostrar qual caminho seguir. E é aí que me engano, pois os conselhos me deixam mais perplexa.
Só quando estou nessa fase que eles surgem, e como. Todos que me conhecem, querem dar palpites. Se você fizer tal coisa, será melhor. Outro chega e diz o contrário do que acabo de ouvir. Então, eu que já estava confusa, me vejo num buraco sem saída, num labirinto de pensamentos. Exagerada? Sim, fazer o quê. Tudo que acontece comigo, é ampliado na minha ótica.
Outros podem observar a situação de outro ângulo e ter uma simples resolução para a questão. Mas não tenho mais interesse, nem mesmo em descobrir qual a resolução no ângulo desta pessoa. Chega de conselhos! Eles não me fazem bem, até que o ditado tinha razão: “Se conselhos fossem bons, seriam vendidos”. Só agora entendo seu significado.
A verdade é que só eu sei como resolver, só eu sei onde está a saída desse labirinto. Só eu sei o que se passa aqui dentro, só eu sei de tudo que estou sentindo.
Ontem saí com alguns amigos, e alguns amigos de meus amigos. Para minha surpresa, ao comentar sobre minha confusão com minha amiga, um desses desconhecidos resolve me dar um conselho.
Eis que me dei conta em como as pessoas querem opinar sobre as vidas alheias. Tive que rir quando o desconhecido pediu, com cautela: -Posso te dar um conselho?
Eu e minha amiga caímos na gargalhada.
Me fiz de salame, até que se mudasse de assunto. Eu não preciso desses conselhos, muito menos de desconhecidos. Da minha vida, sei eu. Das minhas confusões, cuido eu. Uma hora dessas a nuvem desiste de atrapalhar minha imagem, e tudo volta a ser entendido.
Não posso desconsiderar os toques de minhas amigas, aqueles toques de pessoas que querem meu bem, esse tipo de conselho eu reconheço e posso sentir quando é verdadeiro.
O problema é que estou recebendo conselhos em demasia, e além disso (para piorar tudo) existem pessoas próximas que se meteram de uma maneira na minha vida, se intrometeram de um modo, que só ajudaram a tornar tudo uma desordem.
Sigo com minhas confusões, dia-a-dia elas vão se encaixando. Vetarei conselhos em demasia, eles só pioram as coisas.

3 comentários:

ALEX ROCHA disse...

ALICE:

Não darei mais um dos tantos conselhos em demasia, pois pelo que estou vendo, vc é uma mulher muito bem resolvida com as coisas do seu coração e que habitam a sua mente. Tudo isto que vc relatou, um dia eu passei. Não é mais um papo de tio da sukita, ou se assim vc preferir chamar...bom que o seja! Seus impulsos ainda são de uma pessoa jovem...errar e acertar faz parte da vida...o bom é sempre pegar tudo que nos falam, juntar tudo e abstrair somente o necessário, né?? Pois é falei o óbvio, mas se nós todos seres humanos fizéssemos o óbvio, talvez eu não estaria vivendo a minha realidade que tu mesmo conhece e talvez vc naum estivesse precisando escrever tal coisa. Aprendi uma vez que o bom é sempre que houver vontade ou dificuldade com um certo problema, colocar no papel. Ele com certeza, não vai sair por aí comentando, aumentando ou diminuindo o seu problema. Do que vc mesmo escreveu, vc vai tirar a resposta. É isto. Beijo no teu coração!! Alex Rocha

Artur Hideki disse...

Alice,
Vou te dar um "bom conselho"... de verdade ;P... Não ouça conselhos... a situação por mais parecida que seja, nunca é igual... afinal não somos todos iguais...
Beijos, e não fica assim.

Rosanna disse...

Aly:

Tudo o que o que vc considera verdadeiro está aqui..não precisa de conselhos como vc falou, o único conselho que poderá seguir é o do seu coração, pois os problemas que, porventura, etá passando só vc sabe como são, só vc poderá sentí-los de verdade. Mas sempre que precisar de alguém que ao invés de te aconselhar estar do seu lado, te reconfortar, Eu estarei aqui e vc sabe disso! Te amoo em Demasia heuheuehueh
Mil Bjuss da eterna amiga Rô.