quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Sinais

Somos tão parecidos
Quando não conseguimos
Disfarçar algo que está nos incomodando

São sinais singelos
Como os sorrisos que não saem fáceis
Ou quando as gargalhadas se fecham

Não temos o dom de simular humores
Nem o anseio de mentir para nós mesmos
Até porque nosso rosto nos entrega

Através dos teus olhos
No teu sorriso sem jeito
Na maneira como tu caminhas
Percebo que existe algum incômodo

Mas é só isso que sei
Tudo que deixou escapar
Foi essa maneira de agir como eu
Ficou a vontade de saber mais
De descobrir além disso
O que temos em comum

Um comentário:

Rô disse...

Lembro-me do dia em que vc escreveu sinais..agnt estava aqui em casa, adorei o ter presenciado este momento com vc