quarta-feira, 20 de agosto de 2008

***

Quem é tão forte que não pode ser seduzido?
(William Shakespeare)

***
Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho, quem não se permite, uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.
(Pablo Neruda)

***
Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.
(Charles Chaplin)

***
Criticar os outros é algo muito perigoso; nem tanto pelos erros que você pode cometer ao criticar, mas pelo fato de você poder estar revelando algumas verdades a seu respeito.
(Harold Medina)

***
Aquilo a que chamamos espírito parece-me muito mais material do que aquilo a que chamamos matéria; sinto a minha alma mais manifesta e mais sensível do que o meu corpo.
(Miguel Unamuno)

***
O tolo procura a felicidade ao longe, o sábio cultiva a sob seus pés.
(James Oppenheim)

***
Tudo é loucura ou sonho no começo. Nada do que o homem fez no mundo teve início de outra maneira — mas já tantos sonhos se realizaram que não temos o direito de duvidar de nenhum.
(Monteiro Lobato)

***
Se um dia tiver que escolher entre o mundo e o amor... Lembre-se. Se escolher o mundo ficará sem o amor, mas se escolher o amor com ele você conquistará o mundo.
(Albert Einstein)

***
Se você sabe explicar o que sente, não ama, pois o amor foge de todas as explicações possíveis.
(Carlos Drummond de Andrade)

***
As riquezas do mundo pertencem efetivamente aos que têm a audácia de se declarar seus possuidores.
(Georges Duhamel)

2 comentários:

Gabriela disse...

Amo Neruda, mas meu patriotismo não me permite amá-lo mais do que Drummond. Sem falar do Caio-bairrismo.

Renata de Aragão Lopes disse...

Excelente seleção!
Fico com a de Neruda: morre lentamente quem se aprisiona na dúvida.