quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Distraída demais

"Era todos os dias a mesma coisa, atrasada, passava pelas ruas com pressa, como de costume durante dois anos. Era capaz de chegar ao local, mesmo com seus olhos vendados, tamanha a intimidade que tinha com aquelas extensas cinco quadras. Mas como não tinha tempo para observar as mudanças diárias que aconteciam naquele local agitado, tudo lhe parecia familiar.
Os 15 minutos que ficava a mais na cama, eram os responsáveis pela falha. Se não fossem eles, talvez ela teria olhado mais nos rostos das pessoas à sua volta, ajudado aquele turista que estava perdido na cidade, percebido a criança que pretendia mudar seu dia - com um sorriso; ou teria se admirado com o céu naquele dia tão lindo, céu que por natureza trazia uma mensagem de paz.
Se tivesse diminuído o passo, seria capaz de ver em algum detalhe da trajetória, um motivo para sorrir. Mas ela estava distraída demais, preocupada demais com seus compromissos e imersa naquele ritmo incessante da rotina, algo absolutamente normal entre as pessoas que passavam por ela durante o caminho - muitas vezes esqueceu de olhar para o mundo e ver a vida lá fora."

Nenhum comentário: