sábado, 30 de maio de 2009

Dia Especial

Se alguém
Já lhe deu a mão
E não pediu mais nada em troca
Pense bem, pois é um dia especial
Eu sei não é sempre
Que a gente encontra alguém
Que faça bem
Que nos leva desse temporal
O amor é maior que tudo
Do que todos até a dor
Se vai
Quando olhar é natural
Sonhei que as pessoas eram boas
Em um mundo de amor
Acordei nesse mundo marginal
Mas te vejo e sinto
O brilho desse olhar
Que me acalma
Me traz força pra encarar tudo
O amor é maior que tudo
Do que todos, até a dor
Se vai quando o olhar é natural
Sonhei que as pessoas eram boas
Em um mundo de amor
E acordei nesse mundo marginal
Mas te vejo e sinto o brilho desse olhar
Que me acalma e me traz força pra encarar tudo

Cidadão Quem

quinta-feira, 14 de maio de 2009

A vida que ninguém vê

"O mundo é salvo todos os dias por pequenos gestos. Diminutos, invisíveis. O mundo é salvo pelo avesso da importância. Pelo antônimo da evidência. O mundo é salvo por um olhar. Que envolve e afaga. Abarca. Resgata. Reconhece. Salva."

Esse é um trecho do livro: A vida que ninguém vê, de Eliane Brum. A obra é uma reunião de crônicas-reportagens da autora, do tempo que ela escrevia para Zero Hora. Atualmente trabalha na revista Época, utilizando o gênero Jornalismo Literário.
Eliane Brum escreve com a vivacidade e a fúria dos grandes narradores. É a literatura da vida real.