sexta-feira, 10 de julho de 2009

Uma opção

Não consigo mais te alcançar
Foi uma opção que fiz, eu sei
Não cogito a hipótese de voltar atrás
Mas mesmo assim, sinto muito

Procuro preencher meus dias
Com afazeres rotineiros e noites badaladas
Mas não consigo mais, enchê-los de cor

Às vezes penso no teu dia
Será que sente a minha falta?
Será que está se cuidando direito?
Pergunto-me também, com mais freqüência
Se já substituiu o meu lugar no teu peito

Sem resposta a nenhuma das inquietações
Volto meus pensamentos no aqui, agora
No meu dia-a-dia preto e branco

Completo minha vida com tudo que posso
Exceto tua presença

Que falta me faz, não imagina
Só o tempo irá mudar isso que sinto
São escolhas, eu sei
Mas mesmo assim, sinto muito.

[Uma opção, ficcional]

Nenhum comentário: