sexta-feira, 18 de junho de 2010

“Por isso tem tanta gente que não ama, nem é amado. São os que não aguentam levantar a tampa que os protege do incerto, e mudar. Pois a paixão é incerta, não aceitando o estabelecido. O amor, pior, engana, garantindo que poderá ser estável e infinito. E o ódio rapaz, esse é sempre eterno. Portanto, quem é que não ama, não se apaixona, não odeia? Os covardes? Com certeza. Os covardes, entretanto, sábios. Naquele conceito de sabedoria que mata você de velho. E morrer de velho, convenhamos, é a coisa mais humilhante do mundo.”


Fernanda Young

4 comentários:

blogdomacagnan disse...

"E morrer de velho, convenhamos, é a coisa mais humilhante do mundo.”

Depende, Alice... humilhante é morrer de velhice sem ter acumulado e compartilhado o maior tesouro que uma pessoa pode ter: a vivência, a experiência de vida. Pelo contrário, é um orgulho poder morrer de velhice podendo dizer: "Sim, eu VIVI realmente!"

Boa semana para você!

NinfyJ. disse...

Oi.
Eu adorei seu blog.
Visita o meu?

Obrigada
Beijos

Thelma Brait disse...

Adorei seus post e o design do seu blog! Me visite tbm qdo puder!
Beijos

Thelma Brait disse...

Adorei seus posts e o design do seu blog. Me visite qdo puder.
Beijos